ARREDORES

Da colina onde se ergue o Castelo de Fulignano, pode admirar-se uma paisagem sumptuosa e comovente em todas as estações. O olhar abrange 360°, sem interrupções, dos Alpes Apuane a Noroeste, até ao Apenino Pistoiese com o topo do Abetone a Norte, a cadeia do Pratomagno a Este, até ao Monte Maggio a Sul e o Monte Miccioli com as suas colinas que descem gradualmente até ao mar a Oeste. Os pequenos burgos antigos, as igrejas, as quintas espalhadas sobre os montes, as vinhas e os olivais prateados, os bosques de carvalhos e azinheiras completam este panorama de cortar a respiração.

E, para o visitante atento, não há só as pérolas de arte conhecidas em todo o mundo, como San Gimignano, Volterra, Siena o a própria Certaldo, cidade natal do poeta Boccaccio. Nós iremos levá-lo a descobrir outras maravilhas desta Toscânia, pequenas jóias que se desvelam ante os vossos olhos, assim que deixamos as rotas mais conhecidas dos guias turísticos.


A Francigena

No raio de pouquíssimos km, que podem também alcançar-se a pé através de paisagens encantadoras, eis a Igreja de Pancole, monumento do Renascimento, ligada a uma antiga lenda, bombardeada durante a última guerra e nomeada em 2000 igreja Jubilar , encontrando-se mesmo no trajecto de colina da via Francigena;

dê mais uns passos e encontrar-se-á na Pieve di Cellole, deliciosa igreja paroquial românica escondida pelos ciprestes; pode então ir de carro e, em 12 km, chegar à “Jerusalém de Itália” ou seja o sugestivo convento franciscano de San Vivaldo, com as suas 18 capelas votivas, decoradas por magníficas terracotas de tradição do atelier Della Robbia.


Para Siena

Em direcção oposta, apenas 12 km, encontramos Colle Val d’Elsa, a cidade do Cristal, com o seu sugestivo bastião medieval e o castelo; a área arqueológica de Dometaia com os seus misteriosos túmulos etruscos, recentemente trazidos à luz; um mergulho na arquitectura de castelo mais clássica, com uma visita à deliciosa Monteriggioni, e à Rocca di Staggia, pertencente em tempos à mesma família nobre proprietária do Castelo de Fulignano; entre estas duas jóias, poderá parar na Abadia isola, um dos mais antigos lugares humanos de região, com a sua austera mas belíssima igreja paroquial românica.


Siena

E, chegados, por fim, a Siena, que em qualquer estação do ano vos acolherá com a sua magnificência e a sua generosidade de arte e de beleza : “Cor magis tibi Sena pandit” pode ler-se na arcada de Porta Camollia, não por acaso, a acolher o visitante que lá chega, vindo de qualquer lugar para conhecer os segredos desta maravilha, Património Mundial da Humanidade da UNESCO.

No horizonte da cidade medieval destaca-se o perfil da Sé, um dos mais magnificentes de Itália pela quantidade e qualidade dos artistas que nela trabalharam, deixando um património de obras de arte inestimável, algumas das quais poderá encontrar nas salas do Museu de Ópera da Sé (com destaque para a ”Maestà” de Duccio da Boninsegna).
O espectáculo de arte continua depois no esplêndido novo Museu que ocupa os antigos corredores do antigo Hospital de Santa Maria Della Scala (saiba que aí se acolhiam doentes e peregrinos desde o X século e que nos estratos subjacentes existe ainda o traçado de uma estrada romana, para além da sede do riquíssimo Museu Arqueológico de Siena).

E, naturalmente, chegará à extraordinária Piazza del Campo, uma das praças mais belas de toda a Itália e que deixará olhos e coração saciados de beleza. NoPalazzo Pubblico, poderá admirar o áulico fresco da “Maestà” de Simone Martini, o celebérrimo “Guidoriccio da Fogliano” do próprio Martini e o extraordinário ciclo em fresco da “Allegoria del Buono e del Cattivo Governo”, de Ambrogio Lorenzetti, o primeiro ciclo profano da história de arte. Se ainda tiver fôlego, suba até ao cimo da Torre del Mangia, e goze a vista incomparável.

Mas muitas outras maravilhas ficam ainda por descobrir: diga-nos o que mais lhe interessa, ficaremos contentes por vos sugerir itinerários sempre fascinantes e inesquecíveis!


CASTELLO DI FULIGNANO S.r.l. info@castellodifulignano.it